Skip to main content

Dicas de como trabalhar de bicicleta em Brasília

Neste post vamos falar tudo sobre o uso de bicicletas para ir ao trabalho em Brasília. Isso inclui infraestrutura de ciclovias, por onde passam, como entrar com a bike no metrô, horários permitidos, estacionamentos para bicicleta e, claro, discutir se é seguro usar esse meio de transporte na capital federal.

Bike em Brasília

Rafael Cegagno

Fizemos esta matéria atendendo a demanda do leitor Rafael Cecagno. Ele é de Porto Alegre-RS e está em vias de se mudar pra Brasília para trabalhar no Tribunal Superior do Trabalho (TST) no  Setor de Administração Federal Sul. Ele é ciclista na cidade dele, e pretende continuar esta prática aqui no DF.

Brasília é favorável ao uso de bicicletas como meio transporte. É relativamente plana, boa parte das ciclovias são arborizadas e a escassez de chuva em parte do ano, neste caso, é favorável para os adeptos do pedal como meio de transporte. Todavia, falta integração entre as próprias ciclovias e com o sistema de transporte público do DF.

O cientista político da GIZ – uma agencia  alemã focada na sustentabilidade – Jens Giersdorf é natural de Offenbach na Alemanha e mora em Brasília há 05 anos. Ele usa bicicleta como meio de transporte praticamente todos os dias. Além de trabalhar de bike, ele leva o filho na escola e faz pequenas compras nas proximidades de sua residência.

Jens destaca que aqui em Brasília além de melhoria na infraestrutura, o que falta é a conscientização de parte dos motoristas sobre o direito dos ciclistas no transito: “Eu não me sinto seguro  no transito daqui pois alguns motoristas não estão acostumados a compartilhar o asfalto com o ciclistas. Acham que rua não é lugar de bicicleta”, destaca.

O fato é que o Código Brasileiro de Trânsito garante o direito dos ciclistas, mas sem uma campanha de conscientização por parte do governo, dificilmente este cenário vai mudar. O uso da bicicleta como meio de transporte é benéfico em vários aspectos tanto o Rafael, quanto o Jens e outros ciclistas enumeram diversos benefícios pessoais: melhora no humor, relaxamento e condicionamento físico são os mais evidentes.

Uso da bike no metrô

O Metrô de Brasília possui um Guia do Ciclista e permite o transporte de bicicletas no interior dos vagões e das estações. Mas devemos ficar atentos a algumas exigências, que na verdade, contribuem para a segurança de todos os passageiros.

– Na entrada e saída da estação o usuário deve utilizar a cancela para a passagem da bicicleta e, em seguida, ingressar pelo bloqueio.
– Não é permitido montar sobre a bicicleta nas estações ou trens do Metrô-DF.
– O transporte de bicicletas deve ser realizado no último carro do trem.
– Passageiros que não tragam consigo bicicletas ou similares terão preferência no embarque.
– Não é permitida a condução de bicicletas nos elevadores e escadas rolantes, devendo ser transportadas pelas escadas.
– Nas plataformas, os usuários com bicicletas devem respeitar o limite da faixa amarela, não permitindo que qualquer parte do veículo ultrapasse a faixa.

Além disso, todo ano o Metrô comemora o Dia mundial sem carro onde os usuários com bicicletas não pagam e os dois últimos carros são reservados para os ciclistas. Um baita incentivo que deveria funcionar durante os 365 dias do ano.

Gratuidade para quem estiver de bicicleta no Metrô-DF

Bicicletas compartilhadas

Para quem não tem bike, tem a opção de alugar as famosas bikes compartilhadas. Em Brasília já são mais de 45 pontos no Plano Piloto e acumula 170 mil cadastros, além de 880 mil viagens e 157 mil passes registrados em 400 bicicletas.

O Jornal de Brasília fez um levantamento bem bacana do perfil das pessoas que usaram o serviço na capital nos dois primeiros meses de 2018. Como se pode ver, o ponto da Rodoviária é o mais utilizado tanto como origem quanto como destino das viagens, justificado pelo fluxo diário de aproximadamente 800 mil pessoas.

O que o governo anda fazendo para melhorar?

O futuro parece promissor: Governo do DF anuncia melhorias

O Governo de Brasília lançou em agosto de 2017 o Plano de Ciclomobilidade, +Bike, que prevê a melhoria e a ampliação da infraestrutura cicloviária da capital, conectando as ciclovias já existentes e criando uma rede integrada para facilitar os deslocamentos dos ciclistas.

A meta do Plano, é ambiciosa:  transformar Brasília na cidade com maior malha cicloviária da América Latina com aproximadamente 1.200km de extensão. Para isso, se pretende somar 750 km de infraestrutura cicloviária aos 428km já existentes.

De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria de Mobilidade (Semob-DF),  foi contratado um diagnóstico, que está em andamento e será entregue no segundo semestre. A implantação foi dividida em etapas e a primeira fase conta com aproximadamente 218 km de infraestrutura a serem construídos até o final de 2018, dos quais, cerca de 65 km estão em obras, são elas:

  • TTN – Trevo de Triagem Norte: 10,4 km com previsão de conclusão para novembro de 2018
  • Ligação Torto Colorado: 5,7 km, com previsão de conclusão para novembro de 2018
  • EPTG: 25 km, com previsão de conclusão para julho de 2018
  • Planaltina: 6,5 km
  • Lago Oeste: 12,5 km — 6,5 meses de obra (previsão pra junho)
  • EPAR: 4,6 km — 8 meses de obra

Ainda de acordo com a Semob, ainda em maio mais três pontos de bikes compartilhadas foram instalados no Plano Piloto: 01 estação da família, no Deck  Sul e dois adultos na Asa Norte  nas SQNs  408/409 e 410/411. Com os novos pontos, Brasília conta agora com 48 estações de bikes compartilhadas.

Quanto à integração com o sistema de transporte público a Secretaria de Mobilidade do Distrito Federal (Semob) informa que todos os terminais rodoviários  e algumas estações do BRT e do Metrô- DF possuem paraciclos. A previsão é que até o final deste ano, mais 3 mil destes equipamentos sejam instalados.

Em uma parceria entre as empresas de ônibus e o GDF, 10 bicicletários serão instalados em terminais do Sistema de Transporte Público Coletivo (STPC) no primeiro semestre deste ano. Os primeiros espaços serão instalados nos terminais do Cruzeiro e Planaltina.

Atualidades

No final do mês de junho de 2018, o Metrópoles fez uma notícia alertando sobre o mau estado das ciclovias no DF (link). Entre as principais queixas dos ciclistas estão a falta de iluminação, pisos com rachaduras e descontinuidade de pistas exclusivas para bikes.

Na entrevista, o Departamento de Estradas de Rodagem disse que, até novembro deste ano, serão abertos nove quilômetros de pistas exclusivas para bicicletas na região na Saída Norte de Brasília.

O GDF ainda garantiu que até dezembro deste ano conseguirá entregar à população 218 quilômetros de ciclovias. Atualmente, o Distrito Federal conta com 465 quilômetros. Apesar da promessa, apenas 65 quilômetros estão em obras.

Conclusão

E você que usa a bike para trabalhar em Brasília, qual sua opinião? O que acha da segurança das ciclovias? O trânsito é um empecilho? Deixe seu comentário e ajude as pessoas que também querem usar a magrela para ir ao trabalho🙂.

Aqui no UbiPlaces você encontra muito mais que imóveis, você encontra um local para morar.

UbiPlaces Imóveis
Entenda a cidade e busque seu imóvel
https://ubiplaces.com.br

  • 3
    Shares

One thought to “Dicas de como trabalhar de bicicleta em Brasília”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *